Desativar Preloader

LEITURA E REFLEXÃO SOBRE A ESTRUTURA DOS CONTOS LITERÁRIOS.

... O Centro de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação Básica- CEFAPRO/Cáceres-MT, parabeniza o trabalho realizado pela professora Dalva de Oliveira, docente da Escola Estadual São Geraldo, município de Porto Esperidião/MT, com os alunos do Ensino Médio, visando enfatizar a importância da leitura e da escrita na prática pedagógica.


O Centro de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação Básica- CEFAPRO/Cáceres-MT, parabeniza o trabalho realizado pela professora Dalva de Oliveira, docente da Escola Estadual São Geraldo, município de Porto Esperidião/MT, com os alunos do Ensino Médio, visando enfatizar a importância da leitura e da escrita na prática pedagógica. Para tanto, a educadora realizou diversos momentos de leitura e reflexão sobre a estrutura dos contos literários com os alunos, na intenção de instigar a curiosidade sobre as potencialidades da linguagem, por meio do exercício da escrita e refacção do texto. Neste sentido, compreendemos que: “O ato de Ler não nasce com o indivíduo, assim como as outras funções vitais. Este ato precisa ser ensinado e aprendido, e neste processo o professor é o mediador” (BARBOSA, 1990, p.56). O docente que ativamente exerce o trabalho pedagógico colabora para que o aprendiz chegue aos seus objetivos. Eis uma amostragem da produção dos alunos:

 

 

O ACIDENTE

Gustavo recebeu a carteira de volta.  Honório revelou para o amigo e a esposa D. Amélia que estava com uma dívida de quatrocentos mil-réis e que quando encontrou a carteira observou que havia mais de setecentos e trinta mil-réis.

- Confesso que estive tentado a usar o dinheiro para quitar minha dívida.

Porém, o dinheiro não o pertencia, a consciência o atormentou até que ele decidiu fazer o que achava certo, devolvê-la. Sempre fora um homem honesto e íntegro. Jamais pegaria aquilo que não o pertencia.

          Amélia recordava as várias vezes que o marido chegava calado e triste, lembrou-se do dia em que flagrava Honório brincando com a filha, porém seus olhos lacrimejavam. O semblante estava sempre triste e parecia desorientado. Agora sim ela entendia o motivo de toda aquela tristeza. Ela não se preocupava muito com a família, nem procurava saber sobre os negócios do marido, era vaidosa. Seu interesse era gastar o dinheiro em luxos, muitas vezes, com o amante.

A partir daquela descoberta, Amélia começa a refletir sobre suas atitudes de esposa e mãe, sente-se arrependida. Resolve mudar de comportamento e parar com o triângulo amoroso.

Resolvida, marca um encontro com Gustavo e rompe com o relacionamento que mantinha em segredo dizendo que amava Honório. Gustavo concorda e, daquele dia em diante, tornaram-se apenas bons amigos. Amélia se transformou em outra mulher, dedicada e companheira do esposo e da filha. Tornou-se contida nos gastos e ajudava o marido a administrar o dinheiro.

Gustavo continuou com as visitas, porém respeitava e valorizava a amizade.

Depois de alguns meses, Gustavo recebe proposta de trabalho fora do país e muda-se para o exterior.          O tempo passava depressa como o pensamento.

Os anos se passaram, Honório estava com suas finanças estáveis e os números de clientes aumentavam. Ele se tornou um advogado de prestígio na cidade. Logo, portanto, conseguiu pagar as dívidas.

Numa manhã de sábado, Amélia convida Honório para um passeio:

          - Vamos sair para um passeio? Tens trabalhado muito, vamos nos divertir um pouco!

Honório, prontamente, concordou e sugeriu que levassem a filha caçula para brincar.

           Foram dar um passeio pela praia, sorriam e conversavam como no início do romance, enquanto a filha brincava ao lado. De repente, para surpresa deles, eis que encontram Gustavo que também ficou surpreso.

          - Nossa que coincidência encontrá-los aqui. Estava mesmo querendo visitá-los e apresentar minha família.

          Gustavo havia se casado e tinha um filhinho, embora surpresa, Amélia olhou para Gustavo com olhar satisfeita, ao ver que o amigo tinha refeito sua vida também.

As famílias passaram o dia juntos, trocaram conversas, sorrisos e compartilharam alegrias. No final da tarde, Gustavo convida Honório para jantarem em um restaurante, para que pudessem continuar as conversas.

- Tenho muito apreço por vocês Honório e gostaria de manter nossas famílias unidas.

Honório e Amélia aceitaram o convite. Ao chegarem ao restaurante se acomodaram e conversaram sobre diversos assuntos enquanto as crianças brincavam e as esposas mantinham-se atentas. Quando terminaram, Gustavo fez menção de solicitar um táxi, porém foi interrompido pela voz firme de Amélia.

-Iremos deixar vocês no hotel, Gustavo. A noite foi maravilhosa!

Saíram todos felizes com as memórias vividas quando, de repente, um carro desgovernado bateu no carro em que as famílias estavam. Foi um momento aterrorizante, o acidente foi fatal e ceifou a vida daquelas famílias sem deixar sobreviventes.

                                                               

 

 

Aluno do 2º ano/Ensino Médio

Compartilhe essa Matéria